Di@ da Manteiga


Apesar de ser um dos alimentos mais vulgares, não se conhece a origem de manteiga. Presume-se que, juntamente com a coalhada, tenha surgido ainda na pré-história, quando o homem aprendeu a criar o gado. Os nomes em português (Manteiga) e em espanhol (Mantequilla) parecem derivar do sânscrito – manthaga – e foram introduzidos na Península Ibérica pelos celtas.

A manteiga é, essencialmente, a fracção gorda do leite. Pode ser feita a partir de natas acidificadas ou não, e pode ou não levar sal. O processo mais antigo de fabrico consistia em deixar que as natas acidificassem naturalmente, sendo depois batidas à mão. Contudo, o processo de acidificação natural é pouco controlável e muito susceptível a contaminações que afectam a qualidade e a segurança do produto final. Hoje em dia, a produção industrial de manteiga é o resultado dos conhecimentos e da experiência que foram sendo entretanto adquiridos nas áreas da higiene, fisiologia bacteriana e tratamentos térmicos, bem como do rápido desenvolvimento tecnológico que tornou possível o equipamento avançado que se encontra em uso presentemente.

Os principais constituintes de uma manteiga com sal são gordura (80 – 82%), água (15.6 – 17.6%), sal (cerca de 1.2%), bem como proteína, cálcio, e fósforo (no total, cerca de 1.2%).

Como alimento, apesar de pobre em proteínas, é valiosa porque é rica em vitamina A e contem, ainda, bom teor de cálcio, fósforo e vitamina D.

Processo de fabricação da Manteiga

IPQP. Norma Portuguesa 1711

butter

Manteiga – Benefícios nutricionais

Existem numerosas ideias falsas acerca da manteiga: “faz engordar”, “aumenta o colesterol”, “é um alimento pesado”, são algumas das afirmações que se ouvem acerca dela.

Sabendo que as gorduras são indispensáveis à alimentação e que, como recomenda a Organização Mundial de Saúde, devem fornecer cerca de 30% das nossa calorias diárias, é importante efectuar escolhas criteriosas das que devem ser consumidas.


Os benefícios nutricionais da manteiga

  • É a única matéria gorda que disponibiliza vitamina A em quantidade notável. A manteiga contém outras vitaminas em menor dose: as vitaminas D e E.
  • É digerida com grande facilidade: o seu tempo de permanência no estômago é menor que o de outras gorduras e, tem uma acção suave sobre as vias biliares.


A manteiga não precisa de ser excluída da dieta alimentar mesmo em caso de doenças do aparelho digestivo: doenças hepáticas, biliares, pancreáticas e, quando conscientemente, pode ser consumida em todas as idades.


Quantidade de manteiga a consumir

A manteiga deverá ser consumida nas seguintes quantidades: 20g por dia, no adulto; 30g por dia, no adolescente, na mulher grávida ou em período de aleitamento.
A manteiga é indispensável na criança e no adolescente, pois fornece constituintes indispensáveis à formação do sistema nervoso.

Nos desportistas, profissionais ou amadores, a manteiga participa numa dieta equilibrada e é rapidamente metabolizada. Nos seniores é recomendada pela sua fácil digestão e teor de vitamina A. Além disso, pelas suas qualidades gustativas, estimula o apetite.

A manteiga e dietas

Nos casos dos regimes hipocalóricos não é preciso suprimir a manteiga da alimentação, atendendo a que o organismo continua a necessitar de ácidos gordos. Deve-se antes reduzir no álcool e açúcares de digestão rápida e nas gorduras saturadas, nomeadamente fritas, etc.. Um regime hipocalórico é perfeitamente compatível com um consumo diário de 10 g de manteiga.

Frases falsas acerca da manteiga

1. “As manteigas são mais calóricas que as outras gorduras”.
Portanto, a manteiga não tem um valor energético superior ao da margarina e é menos calórica que o óleo.

2. “A manteiga pode ser completamente substituída por outras gorduras”. Não é verdade, atendendo à sua inigualável riqueza em vitamina A.

3. “A manteiga custa a digerir e faz mal ao fígado”. A manteiga é constituída por ácidos gordos de cadeia curta e média e estes são directamente metabolizados pelo fígado. É a gordura com a maior velocidade de absorção.

4. “A manteiga aumenta o colesterol”. Um consumo equilibrado de manteiga não interfere com o colesterol.

Referências

Sobre a Manteiga… http://www.confagri.pt/Ambiente/curiosidades/curiosidade21.htm

Dossier Nutrição http://saude.sapo.pt/artigos/dossiers/nutricao/ver.html?id=756211

Fabrico de Manteiga http://www.angra.uac.pt/agro-alimentar/STA/FABRICO%20DE%20MANTEIGA.htm

Butter Manufacture http://www.foodsci.uoguelph.ca/dairyedu/butter.html

Published in: on Janeiro 22, 2009 at 11:27 pm  Comments (1)  
Tags: , , ,

One CommentDeixe um comentário

  1. Viva!

    Ainda bem que estas evidências saúdam os meus hábitos alimentares.
    Por mim, não dispenso a manteiga, logo de manhã, com um pãozinho muitoooo fresquinho!
    Só não posso assegurar que sejam exactamente as 20g/dia.😀

    RL


Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: